Segunda-feira, Setembro 20, 2021

Consciência socioambiental para salvar o Planeta

Mais Falados

Paciente deixa a Santa Casa depois de 40 dias internada com Covid-19

Uma mulher de 35 anos, que ficou internada na Santa Casa de Misericórdia Dona Carolina Malheiros, durante 40 dias,...

João Doria aprova projeto para reuso de água do deputado estadual Marcos Damásio

Projeto de Damasio de reuso de água agora é lei A proposta do deputado estadual Marcos Damasio (PL) de que...

Time São João/Ginástica Artística da Prefeitura recebe placa em homenagem a professor

Neste sábado (18), completa um ano do falecimento do professor e treinador Sebastião Álvaro Galdino, profissional que brilhou no...
Rafael Arcuri
Rafael trabalha na redação do Fala São João desde sua fundação em 2012. Nos anos seguintes, ele liderou o setor de marketing da empresa e publicou mais de 4.000 artigos — um mix de notícias de última hora, notícias policiais, notícias políticas e muito mais.

LBV forma novas gerações para serem protagonistas em suas comunidades

O fato de estarmos vivendo uma pandemia sem precedentes deixa ainda mais claro quanto é necessário educar crianças e jovens sobre o cuidado com o meio ambiente. Segundo cientistas, preservar a fauna e a flora é um caminho fundamental para o bem-estar do próprio ser humano, basta ver que o surgimento do novo coronavírus está exatamente relacionado às mudanças climáticas.

Estudos apresentados recentemente indicam que mexer com a temperatura média do planeta e destruir florestas favoreceram  a proliferação de hábitats para morcegos (do qual os pesquisadores acreditam ter sido a origem do novo vírus) em diferentes regiões, fazendo, por exemplo, o sul da China um local propício para a disseminação do Sars-CoV-2, na província chinesa de Yunnan.

Apesar de esses mamíferos serem importantes polinizadores de muitas plantas que produzem frutos e outros alimentos, algumas espécies de morcegos que vivem nas florestas podem carregar vírus inofensivos para eles, contudo são mortais para nós. Portanto, cuidar da Natureza não é apenas uma questão de ideal, mas também de sobrevivência.

A LBV, que, desde a década de 1960, alerta para essa realidade, trabalha na inserção social relacionada à educação ambiental de seus atendidos. Dessa maneira, promove uma série de ações — seja em seus Centros Comunitários de Assistência Social, abrigos para idosos ou em sua rede de escolas, que somam 82 unidades em todo o território nacional — com o firme propósito de inspirar novas gerações para mudanças de hábitos e atitudes, diante dos graves impactos causados pelas transformações ambientais.

Graças à Pedagogia do Afeto (direcionada às crianças de até 10 anos) e à Pedagogia do Cidadão Ecumênico (a partir dos 11 anos), criadas pelo educador e diretor-presidente da LBV, José de Paiva Netto — que se destaca por formar “Cérebro e Coração” —, os resultados têm sido encorajadores e enchem de esperança de que surgirão atores sociais esclarecidos, equilibrados, conscientes e cuidadosos com a manutenção de nossa morada planetária.

O esforço propicia também o envolvimento das famílias e comunidades em situação de vulnerabilidade social, tornando todos mais resilientes e aptos a encontrar um significado para o futuro.

______________________

Reportagem publicada originalmente na revista BOA VONTADE nº 260, de junho de 2021.

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas Notícias

Paciente deixa a Santa Casa depois de 40 dias internada com Covid-19

Uma mulher de 35 anos, que ficou internada na Santa Casa de Misericórdia Dona Carolina Malheiros, durante 40 dias,...
- Advertisement -

Artigos Relacionados

- Advertisement -