Sexta-feira, Julho 12, 2024

Até tu, Streaming?

Mais Falados

Guia Comercial

Marcelo Pirajá Sguassábia
Marcelo Pirajá Sguassábia
Redator publicitário há mais de 30 anos. Prêmios Colunistas, Profissionais do Ano, Prêmio Abril de Publicidade, Top Rac, MidiaFestival, Central de Outdoor, Festvídeo, Show-up Meio&Mensagem e outros.

Certo está o bom (bota bom nisso), velho e analógico Ruy Castro, que não tem celular, carrega providencialmente algumas fichas telefônicas no bolso e não se desfaz de jeito nenhum dos milhares de vinis, CDs e DVDs que juntou ao longo de décadas – a despeito das plataformas de streaming da vida.

Ainda que os orelhões estejam extintos da paisagem e as fichas telefônicas dividam espaço com suspensórios e mata-borrões nas feiras de antiguidade, talvez o jurássico Ruy esteja mais up-to-date do que a galerinha viciada em Tik-Tok.

Notícias recentes dão conta de que a debandada de compositores e intérpretes do Deezer, Spotify, Amazon Music e outros será avassaladora daqui pra frente. As esmolas arremessadas a eles por estes megaportais fariam um flanelinha de semáforo parecer um Jeff Bezos, se comparados os rendimentos de direitos de execução de artistas consagrados à caixinha dos labutadores dos cruzamentos.

A coisa é de causar vergonha. Segundo o Canaltech (www.canaltech.com.br), um cantor/compositor precisa ter sua música executada 791.945 vezes por ano para enfiar o pé na jaca, locupletando-se com pagamento equivalente a um salário mínimo brazuca. Isso no Spotify. No Youtube, os números conseguem ser muitíssimo piores: 5.015.652 é a quantidade de reproduções necessárias para fazer jus à mesma bolada. Só ganham dinheiro pra valer os arrasa-quarteirões internacionais e os sertanojos da vez, com seus trinados rouxinolescos e suas sofrências incuráveis.

De duas, uma: ou voltamos ao tempo do Napster, com gigantescos sites piratas de compartilhamento de arquivos, ou a mídia física retorna de vez. O que seria a revanche dos tubarões das gravadoras, que amargam penúria há décadas. E, claro, seria também a confirmação dos dotes proféticos do Ruy, que certamente irá passar a mão no telefone fixo e comentar com os amigos mais chegados: “Eu não disse?”.

Esta é uma obra de ficção

© Direitos Reservados

- Advertisement -

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

- Advertisement -

Últimas Notícias

Jaime Splettstöser é empossado na Academia de Letras de São João da Boa Vista

Historiador meticuloso e incansável, Jaime Splettstöser Júnior foi empossado sábado (6 de junho) na Academia de Letras de São...
- Advertisement -

Artigos Relacionados

- Advertisement -